Marit Stiles MPP, Davenport

Government of Ontario

Marit Stiles renews call to Ford govt to restore Portuguese, Spanish-language mental health clinics

Published on August 13, 2021

TORONTO — Davenport NDP MPP Marit Stiles has again written to Health Minister Christine Elliott urging her to stop the cut to culturally specific mental health care for the Portuguese and Spanish-speaking communities in Toronto.

Stiles first raised concerns with the Ford government in March, after hearing from community members and service agencies that Toronto Western Hospital’s Portuguese Mental Health and Addictions Services was no longer accepting referrals. 
 
Months later, with no change in the availability of Portuguese-language services, and amid reports that the Spanish-language clinic at Toronto Western is also no longer accepting referrals, Stiles is launching a community petition to put pressure on the Ford government to make sure these vital language-specific mental health services have the funds and support to continue running.
 
“The COVID-19 pandemic has taken an emotional toll on many in our communities. For those with existing mental health or addictions issues, the need for support has never been greater," said Stiles.  "No one should have to go without urgent mental health care because of the language they speak. It's essential that the provincial government step up and ensure that Toronto’s Portuguese and Spanish-speaking communities have the accessible mental health supports they deserve, in the language they are comfortable in.”
 
Stiles has also written to the UHN requesting a meeting to discuss the future of its community-based mental health clinics. 
 
The petitions collected will be tabled in the Ontario Legislature when it resumes next month.
 


Marit Stiles, Membro do Parlamento Provincial (MPP), renova apelo feito à legislatura de Ford para voltar a colocar em funcionamento as clínicas de saúde mental em português e espanhol. 

  
TORONTO — Marit Stiles, MPP do Novo Partido Democrático (NDP) por Davenport, voltou a escrever à Ministra da Saúde Christine Elliott incitando-a a interromper o corte nos cuidados de saúde mental, culturalmente específicos, destinados às comunidades portuguesas e espanholas de Toronto. 
 
Stiles levantou a questão, pela primeira vez, com a legislatura de Ford, depois de ter sido informada por membros da comunidade e agências de serviços, que os Serviços de Saúde Mental e Dependências do Toronto Western Hospital (Hospital Ocidental de Toronto) haviam deixado de aceitar referências para consultas em português. 
  
Meses mais tarde, não tendo havido mudanças na disponibilização de serviços em português, e por entre relatos de que a clínica espanhola do Toronto Western também já não aceita referências, Stiles lança uma petição da comunidade para exercer pressão sobre a legislatura de Ford no sentido de garantir que estes serviços vitais de saúde mental, em línguas específicas, recebam os fundos e o apoio necessários para continuarem a funcionar. 
  
“A pandemia da COVID-19 afetou emocionalmente muitas pessoas nas nossas comunidades. Para aqueles que possuem problemas de saúde mental ou dependências, nunca antes foi tão necessário o apoio”, afirmou Stiles. "Ninguém deveria ficar sem cuidados de saúde mental urgentes por causa da língua que fala. É essencial que o governo provincial se envolva e garanta que as comunidades portuguesas e espanholas de Toronto tenham a assistência em saúde mental acessível que merecem, na língua em que se sentem confortáveis”. 
  
Stiles também escreveu à UHN (Rede Universitária de Saúde) solicitando uma reunião para debater sobre o futuro das clínicas de saúde mental centradas na comunidade. 
  
As assinaturas recolhidas irão ser apresentadas à Legislatura de Ontário quando esta retomar o seu exercício, no próximo mês.